«

»

out 05

Dicas úteis de migração…

 

 

Como se preparar para a migração?

 

Se você é DBA e vai encarar essa missão, se prepare. As dicas abaixo são um
pequeno resumo das armadilhas que você vai encontrar por aí.

Planejamento, planejamento e, por fim, planejamento.

 

 

 

Documentação do ambiente de origem antes de preparar o ambiente de destino: as empresas não costumam levar a migração de um lado para o outro em consideração durante a contratação do novo ambiente. Geralmente acreditam que os recursos existentes são suficientes para a migração e isso vai se transformar em uma amarga surpresa posteriormente. Se você não sabe o que tem, não sabe o que vai precisar do outro lado.

 

Tem hora pra tudo: deixe mudanças para depois da migração. Depois de ter migrado e tudo estar em perfeito funcionamento você levanta, planeja e executa melhorias no ambiente.

 

Homologação: comece pelo ambiente de QA e aproveite sua baixa criticidade para aprender. Se não testar, o risco de falha é muito alto e falhas são muito desgastantes nas relações cliente x fornecedor. Peça para os responsáveis por cada sistema ou recurso validarem se está de acordo com o original e documente que foi validado, quando e por quem.

 

Segurança: veja como você vai transportar estes valiosos dados, cuidados especiais com a segurança (assaltos, criptografia, sabotagem). O link adequado (quantidade x janela disponível) costuma ser a melhor opção pois você pode fechar uma conexão privada segura. Confirme se você tem acesso físico aos dados de origem e quanto tempo demora entre a sua chegada no endereço e o seu acesso aos servidores/mídias.

 

Defina o tempo: não é possível estimar sem teste. Se você não transferir dados pelo link que pretende usar (se este for seu meio de transporte) por uns 3 dias seguidos no horário que pretende fazer a transferência, não saberá de fato o que aquele link é capaz de fazer. Se for um backup grande que demore mais de 24h, seu teste deve ser do início ao fim e não 5GB em horários específicos. Se for de transporte terrestre, faça o trajeto no mesmo horário da transferência, pra saber quanto tempo demora e contemplar isso no projeto. Ensaie o passo a passo, mostre para o seu cliente que todas as migrações planejadas estão sendo executadas com sucesso. Se pular este passo, você corre o risco de ter que fazer rollback ou de ultrapassar o horário permitido de downtime.

 

Consistência dos dados: certifique-se de que ninguém está acessando o servidor. Não é porque não tem ninguém na empresa que a base está parada. Usar RESTRICTED_USER também é perigoso pois existem muitas aplicações por ai com usuários membros da role SysAdmin. Procure cortar a comunicação de rede na porta do SQL e só depois faça o backup, derrube a base, etc. (pode parecer nóia mas…).

 

O backup leva somente as bases: você precisará levar também usuários, jobs, documentações, componentes, configurações, certificados. Tenha definido estes procedimentos e o tempo que eles tomam durante a fase de preparação do ambiente do outro lado. Quando preparar o ambiente você terá que fazer tudo isso, aproveite e calcule o tempo necessário e os riscos mapeados.

 

Consulte um profissional especializado: existem empresas que fazem este processo, consultar um profissional com conhecimentos em migrações é muito legal, principalmente se o volume de dados for superior a 1TB. Veja também se sua equipe domina todas as tecnologias envolvidas na migração, afinal, esta não é uma boa hora para aprender. Contrate profissionais especializados para migrar o que sua equipe não conhece.

 

 

Essas dicas não são tudo, são um resumo que acredito que possamos melhorar com a contribuição de todos. Se você tem mais alguma dica, comente este artigo e eu vou adicionando até termos um resumo mais completo.

.

Deixe uma resposta